Páginas

Este blog não pretende ser um tratado do nosso vernáculo. Destina-se àqueles que querem aprender a escrever corretamente. Lapidar as palavras e transformá-las em verdadeiras jóias (bem dispostas no texto, de forma a traduzir o pensamento e publicar as idéias) é o que busca todo o artesão da palavra.

domingo, 16 de novembro de 2008

ConcordânciaVerbal


Regras Básicas
  • O sujeito e o verbo concordam em número e pessoa. Ex.: Escrevo todos os meus artigos. Escrevemos todos os nossos artigos.
  • Sujeito composto: Quando o sujeito é composto e anteposto ao verbo, a concordância se faz no plural: Ex.: Professor e aluno pesquisaram juntos para o trabalho. Professores e alunos devem pesquisar sempre juntos.
  • Nos sujeitos compostos formados por pessoas gramaticais diferentes, a concordância no plural obedece ao seguinte esquema: a primeira pessoa prevalece sobre a segunda pessoa, que, por sua vez, prevalece sobre a terceira.
Exemplos:










Teus irmãos, tu e eu tomaremos a decisão.
Tu e teus irmãos tomareis a decisão
Pais e filhos precisam respeitar-se

Quando o sujeito é composto, formado por um elemento da segunda pessoa e um da terceira, é possível empregar o verbo na terceira pessoa do plural, como se vê em muitos de nossos bons escritores. É possível, pois, aceitar a frase: "Tu e teus irmãos tomarão a decisão.", já legitimada por grande parte dos gramáticos.
No caso do sujeito posposto ao verbo, em vez de concordar no plural com a totalidade do sujeito, o verbo pode estabelecer concordância com o núcleo do sujeito mais próximo. Isto é uma opção e não uma obrigação.
- Faltaram coragem e competência - Faltou coragem e competência

- Pouco falaram o pastor e os padres - Pouco falou o pastor e os padres.

Quando ocorre idéia de reciprocidade, no entanto, a concordância é feita obrigatoriamente no plural:
- Abraçaram-se vencedor e vencido.
- Ofenderam-se a sogra e a nora.

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada