Páginas

Este blog não pretende ser um tratado do nosso vernáculo. Destina-se àqueles que querem aprender a escrever corretamente. Lapidar as palavras e transformá-las em verdadeiras jóias (bem dispostas no texto, de forma a traduzir o pensamento e publicar as idéias) é o que busca todo o artesão da palavra.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Soneto da Fidelidade


Vinícius de Morais

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de que vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Um Pouquinho de Vinícius: Aos 19 de outubro de 1913, nascia Marcus Vinicius da Cruz de Mello Moraes.
Em 1933 Vinícius obtém o diploma de bacharel em Direito. Músico, amante da poesia, Vinícius foi também Diplomata.
Participou do grupo fundador da Bossa Nova ao lado de Tom Jobim, João Gilberto e outros. Gostava das rodas de boemia. Ao ser perguntado sobre "Quais as três coisas mais importantes da sua vida?" Ele respondeu: "Primeiro mulher; segundo mulher; e por fim mulher!" Vinícius era um apaixonado pelas mulheres. Em sua poesia - Receita de Mulher - ele disse sua famosa frase: "As muito feias que me perdoem, mas beleza é fundamental".
Vinicius amava a cultura afro-brasileira e se considerava o branco mais preto do Brasil.

Um comentário:

lery disse...

Cleuza, que ideia maravilhosa do conteúdo do seu blog. Eu amo poesias, não vou pensar duas vezes para vir aquí curiar e ler estas lindas poesias. beijs de Lery Cleide http://lery-blogdalery-blogspot.com. Sim, estou te seguindo se gostar do meu blog me siga também.

Pesquisa personalizada